Data: segunda, 18 de novembro de 2019
Horário de Brasília: 00:02
Clima

Diretores e professores da Educação Infantil participam de formação continuada

11/07/2019 Renato Lana
A Coordenadora do Setor de Educação Infantil, Lucimara Vitória fala aos profissionais da Educação Infantil do Município

A Coordenadora do Setor de Educação Infantil, Lucimara Vitória fala aos profissionais da Educação Infantil do Município

Com as propostas de analisar as situações desencadeadas nas formações dos professores, as sugestões de registro de avaliações das crianças, discutir acerca das informações encaminhadas pelo setor, além de propor uma reflexão e diálogo sobre as situações visualizadas nas visitas pedagógicas, as rotinas e diagnósticos, foi realizada na tarde desta quarta-feira (10/07), no auditório do Polo UAB, uma formação continuada destinada aos diretores e professores da Educação Infantil à luz do currículo do Espírito Santo.

A formação foi conduzida pelas componentes do Setor da Educação Infantil, Lucimara Vitória Machado Loureiro, Simone Pignaton Segato e Welida Cristina Capucho, além da Nutricionista Daiane Souza Gonçalves, que passou instruções e orientações quanto ao projeto de Alimentação Nutricional. “O que nos direciona são as avaliações que vocês fazem. Enquanto gestores, tendo à frente um grupo grande com os funcionários da escola, as crianças e as famílias com suas diversidades, o que tem nos impulsionado para mudar o nosso discurso, acreditar e agir?”, indaga a Coordenadora do Setor de Educação Infantil, Lucimara Vitória.

Antes mesmo de todas atividades do dia se iniciarem, foi feito um momento reflexivo, com a exibição de um vídeo da Pedagoga Isa Minatel. Intitulado “O mundo sobre a perspectiva da criança”, esse diálogo com a Isa mostra, de uma forma inteligente, como o adulto pode entender a criança, que encontra no choro e na pirraça, sua forma de se comunicar. Isa conta sua história de mãe, e as dificuldades de entender os choros incessantes de seu filho. “Meu filho nasceu e não parou mais de chorar. Mas pessoas diziam que era só os três primeiros meses, o que não aconteceu, e eu percebi que não entendia nada de criança, que ainda não sabe o que é fingir ou manipular. Se eu pensar que uma criança está fingindo ou manipulando, estou pensando com a cabeça de um adulto. Já se eu pensar com a cabeça de uma criança, sei que ela está querendo me comunicar algo, que pode ser qualquer coisa”, explica.

A formação ainda ofereceu aos Diretores e Professores o replanejamento do Plano Geral Ação Didática (PGAD) para o segundo semestre, as rotinas semanais, os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento a serem garantidos na semana planejada, além de questões relacionadas aos espaços das salas de aula. Toda conversação foi centrada na questão de como pensar num planejamento que atenda aos processos de implementação e transição do currículo no ambiente escolar, de forma a garantir os direitos de aprendizagem da criança.

TEXTO: Renato Lana
E-MAIL: rfaria@aracruz.es.gov.br